teste

Esse foi, não o oficial, mas o primeiro post real publicado nesse blog, no dia 09 de abril de 2020 (editado em 18 de maio de 2020).
Era (antes deu resolver editá-lo) um post sem conteúdo, sem finalidade alguma além de testar se estava funcionando e permitir alguns ajustes e configurações.
A medida que as coisas no blog foram se ajeitando e ele foi ganhando cara e identidade, minha mãe, a autora desse post e criadora da Divitae (essa plataforma que acolhe o meu lugar na internet), me disse: “Deleta aí esse post”.

Minha irmã – Isabela, eu e minha mãe

Eu tinha acabado de ver esse vídeo de Júlia, do canal Jout Jout Prazer, falando sobre como os processos são tão menosprezados enquanto o resultado é super exaltado pela nossa cultura, quando na real as coisas acontecem de verdade é no processo, o resultado normalmente dura alguns poucos instantes, é só a pontinha de uma grande jornada!

E, sabe, eu viajei aqui pensando que esse post representa mais que um post teste (Sim, adoro ressignificar coisas e atribuir novos valores e signos aos objetos e acontecimentos…) ele representa um dos primeiros passos pra começar esse blog, algo que eu desejo faz muito tempo (acho que desde que parei de blogar no finado asperipéciasdeva.com.br em 2013-2014).
Mas ele também representa a dedicação, a entrega e o apoio que minha mãe sempre dá a tudo que eu me proponho a fazer. Ela não me questiona se vale a pena, se vai dar certo. Ela apenas sabe da importância e está alí, pronta pra me ajudar.
*tem aqui essa prova em forma de print de minutos antes dela me mandar apagar o post test

Domingo, 17 de maio de 2020

Parte importante do trabalho que quero desenvolver aqui é também um aprendizado que venho tentando construir na minha própria vida tem uma ligação profunda com o vídeo de Jout Jout: Focar menos no resultado e aproveitar o caminho!
Honrar o meu processo e abraçar todos os passos como essenciais pra evoluir enquanto faço, pratico, testo e experimento, no lugar de buscar e focar numa perfeição impossível!

O palco é realmente mágico, lindo e encantador, mas é só uma parte, uma pequeníssima parte de todo trabalho que acontece intensamente, cheio de altos e baixos, erros e acertos dos bastidores.
E é por isso, justamente por isso, que achei icônico manter esse post test publicado (mesmo que editado) e começar aqui com essa (de muitas) etapa do processo, meio que deixando propositalmente um pouco da coxia exposta enquanto abro as cortinas para o público com esse post escrito de improviso e sem nenhum planejamento, bem diferente daquele em que não consigo avançar, que tá lá nos rascunhos, empacado, onde tenho tentando fazer um recorte de quem eu sou pra inaugurar esse espaço me apresentando.
O feito é sempre melhor que o perfeito!

Prazer, eu sou Evinha!

Seja uma pessoa muito bem vinda a esse espaço de troca, criatividade e mão na massa!